2019/06/10

Camião Tramagal TT 13/160 6x6 Turbo ao pormenor - Museu Militar de Elvas (1/5)


Hoje é dia 10 de Junho de 2019, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.
E sendo o blogue Rodas de Viriato dedicado aos veículos fabricados em Portugal, não podemos deixar de aproveitar a ocasião para demarcar a posição assumida nos últimos 12 anos de trabalho diário aqui desenvolvido, divulgando mais um veículo especial, mais concretamente um peso pesado fabricado pela Metalúrgica Duarte Ferreira.

Nas imagens podemos ver um camião Tramagal TT 13/160 6x6 Turbo, que está em exposição no Museu Militar de Elvas, sendo hoje a primeira publicação, das cinco previstas, onde mostraremos este camião antigo ao pormenor.
Mas, dizem que há sempre um mas... Sendo esta data especial, em que políticos e militares aproveitam a ocasião para se mostrarem, porque não fazer o mesmo?

O pensamento divide-se... Devo cingir-me à apresentação do camião, ou antes apresentar os pensamentos que uma data e um camião destes me despertam?
Primeiro que tudo: para quê dedicar 12 anos de minha vida a fazer um trabalho, que é balizado por uma fronteira geográfica / demográfica? Parvoíce pura!

Sim, por defeito pessoal, acho sempre que aquilo que faço podia sempre melhor, mesmo que esteja muito bem feito e mesmo que muito poucos consigam fazer algo que se aproxime. É um pouco como este camião... Por muito bom que pudesse ser na sua época, houve alguém que achou que era melhor não se avançar com a compra deste 6x6, justificando-se tal decisão com o argumento de que não havia garantias de que houvessem peças para substituição em caso de necessidade (ou algo perto disto)...

Esta coisa dos argumentos é fo****! É mais fo**** é quando uma pessoa aceita esses argumentos.
É aqui que os políticos aproveitam, por exemplo, esta data para entrar em acção. É preciso dar argumentos para justificar opções (que nos fazem ficar a pensar que serão pessoais ou de um pequeno círculo de conhecidos) e dizer aquilo que parece ser bem.

Moral da história, o que podia ser algo que ainda hoje estava em fabrico e que tinha sofrido evoluções, não passa de uma peça de museu.
E como este camião Tramagal TT 13/160 6x6, muitos outros projectos ficam na gaveta ou não deixam de estar condenados a não ir a lado nenhum... Mesmo que tenham rodas!
E quem diz projectos, diz pessoas, ideias, empresas...

Temos de mudar de atitudes.
Podemos ver a coisa pelo lado positivo e ir em busca do bom que hoje se faz, mesmo que os outros insistam que a coisa não presta! E se calhar também podemos ir pelo lado negativo, divulgando nomes de quem, por exemplo, achou que este camião não se devia ter fabricado!
Mais uns anos será tudo história, mas para bem de uns e mal de outros, a coisa ficou escrita. E não, não é daquelas coisas tipo "rede social", que passadas 2 horas já ninguém quer saber do que aconteceu.

Como diria o Sócrates para o Durão Barroso "Porreiro pá!".
Neste caso dizemos: Porreira apresentação do camião Tramagal TT 13/160 6x6 militar que aqui foi feita!
Mas olhem, se não gostam, façam melhor!

2 Comentários

Anónimo disse...

a modos que o articulista tem medo de escrever o que pensa. O camião Tramagal Turbo terá sido a melhor coisinha, o melhor camião militar, com que alguma vez me cruzei na tropa. Não tendo nada a ver com a sua escolha, mas tendo entrado para o Exército na altura em que se procurava um novo camião para substituir as exploradíssimas e mais que fiáveis Berliets, foi alguma satisfação que soube que a Berliet Tramagal se preparou para tal concurso, é que, além de ser da região, já conhecia as Berliet. Tendo feito o meu caminho profissional como mecânico do Exército, a determinada altura começo a ficar admirado quando começam a aparecer nas unidades as pouco fiáveis e beras DAF, fiquei então a saber que não tinham permitidoque a Berliet Tramagal vencesse o concurso com a sua Tramagal Turbo. Acabei por andar nelas umas quantas vezes, por me cruzar com as quatro ou cinco adquiridas pelo Exército nas Unidades por onde andei, sempre eficientes e robustas como já as Berliet tinham sido e, estou certo, ainda hoje essas peças de museu pediriam meças a veículos bem mais modernos, como por exemplo as MAN que apesar de tudo, nada têm a ver com as DAF, pois essas só mesmo para a sucata. Mas poderia dizer sem medo de errar, que o Exército fez um mau negócio e um mau serviço a Portugal, ao optar pelas DAF, em vez das Tramagal Turbo, no entanto penso não errar ao dizer que a opção não terá sido do Exército; se foi, fizeram mal.

Anónimo disse...

Se não tivessem escolhido os HMMVW, se calhar tinhamos tido o UMM Alter 3, 4 ou 5

Enviar um comentário