2010/01/15

Chassis da automotora ME em experiência


Apresentamos mais um documento histórico relativo às automotoras ME, dos Caminhos de Ferro do Vale do Vouga. Trata-se de uma fotografia onde podemos ver dois dos elementos ligados à construção destas automotoras, juntamente com elementos da direcção da empresa.
Com a preciosa colaboração de Caldas Duque (filho do Eng.º Melo Duque - identificado na imagem), pudemos ficar a saber um pouco mais sobre esta fotografia, que aparentemente é uma simples foto de grupo.
Passemos então a explicar o que está por detrás desta fotografia, contado directamente por Caldas Duque:
A construção das automotoras ME trouxe alguns aborrecimentos ao Eng. Melo Duque, bem como aos seus colaboradores ferroviários, pela persistente teimosia em fazer rolar em carris de ferro o que era já dado como sucata. O país começava a saber como eram difíceis os primeiros tempos da IIª Guerra Mundial.
Tudo começava a escassear e era urgente que se apoiassem as iniciativas capazes de compensarem, logo de princípio, o que começava a ser racionado e depois faltava mesmo sem apelo nem agravo. Mas nesses tempos outros valores mais altos se levantavam: E se um engenheiro chateava muita gente... Imagine-se como uma Tracção e Oficinas chateariam muito mais!...
Na fotografia podemos ver uma experiência com o chassis do que viria a ser a célebre ME51, juntamente com várias pessoas, o Eng.º Melo Duque e o Chefe das Oficinas Simão estão devidamente identificados e até alguma coisa distanciados dos restantes por motivos óbvios. Esses seis senhores, cujos nomes desconhecemos, deslocaram-se a Sernada-do-Vouga, após "grandes" insistências (algum ou alguns deles na qualidade de Directores dos Caminhos de Ferro do Vale do Vouga), para acreditarem no milagre! Note-se que a automotora tinha sido construída a partir de um camião velho, e que era grande demais para circular nas estradas da zona. Só depois desta celebérrima fotografia, a luz verde se acendera para que as ME52 e ME53 se fizessem! É bom que se saiba que o "parto"da ME51 não foi nada fácil... E que vezes sem conta Caldas Duque assistiu à cumplicidade dos ferroviários quando a mando do Chefe Simão cobriam com oleados de vagões o chassis que se andava a "fabricar" às escondidas desses senhores!... Até procedimentos disciplinares foram alvitrados.... É bom que se tenha isso em memória!...

A terminar informamos que Caldas Duque tinha intenção de oferecer a fotografia devidamente legendada, porque tencionava oferecê-la ao Museu da Macinhata-do-Vouga para que ficassem melhor esclarecidos sobre QUEM foi e o que ERA a primeira e verdadeira automotora construída neste país, em 1940, pois para sua desilusão completa quando visitou o espaço museológico não viu nenhuma referência ao evento nem aos responsáveis por ele!

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário