2020/01/17

Motorizada Famel Turismo - Exposição Bicicleta Motorizada


A cultura é algo que muitas correntes económicas detestam, pois para além de custar dinheiro e de melhorar perigosamente o nível cultural das pessoas, dificilmente é rentável monetariamente.

Começamos desta forma esta publicação sobre a motorizada Famel Turismo, modelo D, que vemos nas imagens, pois com este artigo podemos ajudar a esclarecer a névoa relacionada com os motores de marca Famel.

Ela pode ser vista na exposição Bicicleta Motorizada, no Centro de Artes de Águeda, não sendo necessário pagar bilhete para esse efeito. Situação que para certas correntes económicas é uma coisa hedionda e repugnante.

Tal como acontece com muitas marcas, seja de automóveis, seja de outros tipos de veículos, nem sempre o motor usado é produzido pela marca que o utiliza e, neste caso, o motor de marca Famel foi fabricado pela Metzger & Schlegel K.G. de Fellbach, perto de Estugarda (em alemão "Stuttgart"), na Alemanha.

É um motor do ano de 1955, tendo 48 cc de cilindrada.
As tampas laterais deste motor foram fabricadas de propósito, tendo a marca Famel gravada em relevo no metal, procurando-se deste modo afirmar a marca, como é legitimo. Podemos dizer que era uma situação a meio caminho entre usar motores de outras marcas e usar os seus próprios motores.

Este modelo não tem suspensão na zona da roda de trás, sendo o amortecimento feito pelas molas existentes no selim que equipa esta Famel Turismo.

Continue lendo...

2020/01/16

Chapa identificativa de funcionário da Salvador Caetano


Trazer a marca ao peito não é para qualquer um! Há quem o faça por obrigação, outros por profissão e ainda outros por convicção.

Este crachá metálico é da Salvador Caetano, tendo o emblema da marca em relevo e pintado com cores. Nele há uma ranhura onde era colocado o nome do funcionário da Salvador Caetano, só que neste caso foi colocada uma etiqueta adesiva, com o nome "Emilio" em relevo. Provavelmente por ser mais prático e definitivo.

Já estamos a imaginar alguém com a farda da empresa e com este crachá posto ao peito! Por ele terão passado muitas peças e eventualmente algum dos veículos fabricados.
O crachá está disponível para troca ou venda. Para mais informações, usar o contacto de e-mail existente no lado direito do ecrã.

Continue lendo...

2020/01/15

Ford V8 Bombeiros Voluntários Dafundo - Salão MotorClássico 2019 (3/3)


Uma frente destas deixa qualquer entusiasta de veículos antigos de cabeça no ar!
E assim concluímos a apresentação do Ford V8, dos Bombeiros Voluntários de Dafundo, que esteve em exposição no Salão MotorClássico 2019.

Mas olhando bem, quando se percebe que este tipo de viaturas dos bombeiros eram como que um canivete multifunções, rapidamente se deixa a dianteira e se começa a andar à volta deste carro de bombeiros.

Aproveitamos para destacar mais alguns pormenores, como é o caso do carreto de enrolar mangueiras na parte de trás, parecendo ter rodas de carroça nas laterais, de modo a facilitar o trabalho.

Está equipado com os antigos pneus Mabor General, com medida 6.50 20 C.

Na parte de baixo deste Ford V8 podemos ver as soluções técnicas que foram usadas em termos de suspensão.

E tentando estar na moda, podemos dizer que a zona onde viajava a tripulação era feita em bio-plástico (entenda-se "madeira")! Era o material com que mais rapidamente se construía o espaço, mas quem lá viajava devia rezar para que a viagem fosse curta.

Continue lendo...

2020/01/14

Fábrica de Brinquedos Novorim - Catálogo antigo / Triciclo ref. 123 / 124


Continuando a divulgação do catálogo antigo da Fábrica de Brinquedos Novorim, aqui fica o triciclo com a referência 123 e 124, como podemos ver na etiqueta na imagem que se segue.
É um triciclo que tem por base uma prancha de madeira, que serve de base para o banco em napa e para prender a coluna da direcção, bem como a parte que suporta as rodas traseiras e o encosto para as costas. Tinha pedais em borracha.

O triciclo Novorim com a referência 123 custava na época 150$00, enquanto que o que tinha a referência 124 custava 155$00, não havendo indicações no preçário sobre o porquê desta situação.

Continue lendo...

2020/01/13

Porta-chaves da Mocar com leão


Divulgar porta-chaves da Mocar no Rodas de Viriato não é novidade, mas nunca mostrámos um tão antigo, como aquele que podemos ver nas fotografias.
A criação da marca remonta aos anos 40 do século passado, estando ligada às marcas Alfa Romeo, Peugeot e Packard.
Entretanto em finais dos anos 70 passou a ser a distribuidora da marca UMM, parceria que se manteve, dando origem a que alguns componentes do jipe de fabrico português fossem fornecidos pela Peugeot.

Uma vez que este porta-chaves Mocar tem um leão, como o da Peugeot, adivinha-se que será anterior à parceria referida.
É feito em metal, tendo a parte interior colorida com recurso a esmalte.
Está disponível para venda, para mais informações usar o contacto de e-mail existente na lateral direita do ecrã.

Continue lendo...

2020/01/12

Motor Casal 250 cc (Moto Casal K 280) - Exposição Bicicleta Motorizada


Em 1975 a Metalurgia Casal anunciou que iria lançar a moto Casal K 280, um modelo de estrada equipado com motor Casal, de 250 cc e com travão de disco hidráulico na roda da frente.

Consta que foram produzidas duas destas motos, não sendo de conhecimento público o que lhes terá acontecido.

Entretanto apareceu este motor Casal de 250 cc na exposição Bicicleta Motorizada, em Águeda.

Está identificado como sendo um protótipo, de 1975, pertencente ao colecionador Nuno Vidal.

O motor tem cravada uma chapa da Metalurgia Casal, S.A.R.L., como acontecia nos outros motores por ela produzidos, só que nela não foram gravados letras ou números com recurso a punções.

Curiosamente essa chapa foi fabricada para ser aplicada em motores produzidos na década de 60 do século passado. Que história estará por detrás desta situação?

Devagar vão-se descobrindo mais informações sobre a marca Casal, como aconteceu recentemente quando foi exposta a Casal K 272, com motor Casal de 150 cc da Polícia de Segurança Pública.
Será que brevemente vamos poder ver a Casal K280?

Continue lendo...

2020/01/11

Calendário de parede Marcelino dos Santos - 1978


Mulheres despidas e motos são um clássico no mundo dos calendários de parede de marcas relacionadas com motos. Pelo que volta e não volta, lá surge mais um. No caso do que apresentamos nas imagens, é da marca Marcelino dos Santos & C.ª L.da, de Cantanhede, que vendia motorizadas de marca Masac e Casal.

Para além da imagem da senhora despida da cintura para cima, que estende roupa numa folha de palmeira, também há uma imagem de uma motorizada Casal.

Num dos cantos do calendário é possível ver que foi impresso na tipografia Bolhão, no Porto, tendo sido produzidos 7500 calendários em Dezembro de 1977.

Continue lendo...

2020/01/10

Motorizada Famel Utilitaria - Exposição Bicicleta Motorizada


Depois de aqui termos apresentado a reportagem da exposição Bicicleta Motorizada, no Centro de Artes de Águeda, é altura de começar a apresentação individual das motorizadas que se podem ver no espaço referido.

Datada de 1951, era possível ver esta Famel Utilitária equipada com motor Pachancho, sendo o arranque feito através de pedais.

Apesar de o motor ter sido fabricado pela Pachancho, ele tinha num dos lados gravada a marca Famel no metal, e no outro lado tinha as palavras "Famel Águeda" pintadas.

Mas não foi só aqui que a Famel gravou a sua marca, também o guarda-corrente em metal tinha a palavra em relevo, ladeada de uns elementos gráficos que lembram assas de pássaro estilizadas.

É um veículo que podemos dizer estar entre a bicicleta e a moto, pelo que tem as partes essenciais de uma moto, mas adaptadas à escala de uma bicicleta melhorada.

Isto não foi motivo de desculpa para que as várias peças não fossem projectadas / fabricadas / integradas de forma esmerada. Veja-se a terminação do escape, lembrando uma barbatana hidrodinâmica de um peixe.

Na frente vemos que o farol é da marca Impex, não havendo hodómetro ou velocímetro para controlar a marcha do veículo.

Também nesta zona era possível ver que o pneu era de marca Bufalo, tendo sido fabricado pela CNP.

Terminamos com um pormenor do guarda-lamas traseiro, onde é possível ver a chapa que diz Famel Utilitária e o farolim usado.

Continue lendo...

2020/01/09

Bicicleta Vilar recuperada por Hélder Silva


A vontade de recuperar e de restaurar veículos antigos não é coisa que desapareça com facilidade. É mais uma questão de oportunidade e ela logo desperta e entra em acção!

A bicicleta Vilar que vemos nas imagens esteve quase para ser desmantelada e ir parar ao lixo, mas o nosso leitor Hélder Silva (que também já restaurou um motorizada EFS GT Super, e a quem agradecemos mais esta colaboração) não perdeu a oportunidade de lhe dar uma nova vida.

É uma Vilar com quadro aberto, próprio para senhoras, tendo na parte de trás uma zona para transporte de mercadorias, isto para além de ter uma mala de pequenas dimensões, em borracha; para transporte de ferramentas, de remendos e de cola, para quando alguma roda tiver um furo.

E até um prático descanso ela tem, para que possa ficar estacionada sem ter de ser encostada a paredes ou muros.

Continue lendo...

2020/01/08

Miniatura Chaimite V-200 da Automodelos (3/3)


Quem aponta assim tem de especial!
Tão especial que tem direito a 3 reportagens para a sua apresentação.

Falamos da miniatura do blindado Chaimite V-200 produzido pela Automodelos sendo este é o último conjunto de fotografias que divulgamos.

E quando dizemos especial, estamos a referir-nos ao próprio blindado Chaimite, mas também a esta miniatura, onde foi simulada a pintura característica dos Comandos.

Tal como no veículo original, as aberturas que permitem ver o interior deste blindado são de dimensão reduzida, mas não foram esquecidas, tendo relevo, o que lhes confere maior realismo.

Na parte inferior podemos ver a forma como o eixo das rodas está preso ao conjunto, tendo para esse efeito sido usada uma peça, que está parafusada à carcaça do blindado. Essa peça é alongada na zona dos eixos, evitando o empeno do pedaço de metal que prende as rodas - em caso de queda da miniatura.

Na imagem anterior podemos ver que as rodas, mais concretamente as jantes foram fabricadas em resina, pois nota-se alguma passagem de luz por um material de cor amarelada.

E terminamos com uma fotografia onde é evidenciado o perfil bélico do blindado Chaimite, para repescar uma frase retirada de um catálogo em inglês, onde é referido o "poder de fogo devastador de onze portos de armas e torre".

Continue lendo...