2018/05/31

Calendário antigo Zandi de 1974


Mulheres e motos, a dupla mais que explorada em publicidades.
Era assim que a Zandi promovia os seus pneus neste calendário de 1974, que também podia servir de régua.

Zandi - O pneus dos campeões, era a frase que completava o conjunto.
Foram impressos 15000 calendários como este em Janeiro de 1974.

Continue lendo...

2018/05/30

Pneu antigo Alifort 26 x 1 3/8 Sport tipo Cord


No Rodas de Viriato temos batalhado pela mudança de mentalidades de quem faz restauros de veículos antigos, procurando que se valorize o que tivemos no passado.

Um desses aspectos está relacionado com a divulgação dos pneus fabricados em Portugal, por marcas como a Zandi, a CNP - Companhia Nacional de Pneus ou a Mabor General e que eram usados para equipar bicicletas, motorizadas, scooters, atrelados, motos, automóveis e camiões.

Para muitos um pneu francês ou inglês é a opção lógica quando é preciso colocar uns pneus novos numa bicicleta antiga. Mas será essa uma opção inteligente?

Acreditamos que esta escolha seja por um lado, resultado do preconceito de que "o que é estrangeiro é que é bom" ou, por outro lado, resultado da oferta de pneus antigos existentes no mercado.

Mas é nos pormenores que se distingue a qualidade de um trabalho e o empenho com que o mesmo foi realizado...

Vejamos por exemplo este pneu antigo Alifort (da Garagem Aliança, de Barcelos), para bicicleta com roda 26 x 1 3/8, modelo Sport, tipo Cord.

Que sentido faz colocar um pneu estrangeiro numa bicicleta antiga de marca Alifort - que chegaram a ter selins com a marca Alifort gravada no couro; quando podemos usar um pneu da marca da bicicleta?

Como se vê pelas fotografias que acompanham este texto, o pneu tem a referência ao ano de 1969 e a borracha está como nova! Quantos pneus franceses ou ingleses conhecem com esta idade neste estado?

Agradecemos à Garagem Aliança / Paulino da Silva Gonçalves e a João Faria pela possibilidade de fotografar este pneu.

Continue lendo...

2018/05/29

2.º Encontro de Motorizadas Antigas de Alcoutim


O 2.º Encontro de Motorizadas Antigas de Alcoutim está agendado para dia 10 Junho de 2018.
A organização pretende promover e divulgar a beleza paisagística do Baixo Guadiana.
As inscrições são limitadas a 200 participantes.
Programa:
8h30 – Abertura do secretariado (Centro Náutico de Alcoutim- sede do GDA);
9h00 – Pequeno-almoço;
10h00 – Início de passeio pela freguesia;
10h30 – Paragem nos Montes do Rio;
11h30 – Paragem na Barragem do Pereiro (reforço);
13h30 – Almoço em Alcoutim – Cais Novo;
Para mais informações usar os contactos existentes no e-mail.

Continue lendo...

2018/05/28

Chapas testa de quadro bicicletas Alduma


Nisto de descobrir informações sobre as marcas nacionais, muitas vezes temos de usar o processo invertido, isto é, primeiro divulgamos a marca e só depois é que descobrimos informações sobre ela... Deste modo forçamos a que as coisas aconteçam e, com que se fique a saber algo mais, com as respostas que entretanto vamos recebendo.
No caso destas chapas de testa de quadro de bicicleta pasteleira, são da Super Alduma, propriedade de A. D. M.
Quem seria este vendedor? Em relação à marca ser portuguesa, disso não há dúvidas, pois na chapa aparece a palavra Portugal.
Agradeço a Carlos Martins / Old Moped pela cedência da chapa para fotografar.
Quem tiver informações, por favor deixe comentário.



Continue lendo...

2018/05/27

Folheto motorizada SIS Sachs Saxy


Continuando a divulgação de folheto de motorizadas fabricadas pela SIS Sachs, aqui fica o da SIS Sachs Saxy.

Este modelo terá sido fabricado em finais de anos 80 e seguia a filosofia da SIS Sachs Brasa. Foi vendido em Portugal e exportado para a Alemanha, aparecendo motorizadas destas à venda em sites de classificados locais.

A SIS Sachs Saxy estava equipada com motor Sachs 505/2 DS ou 505/1 DS.

Pesava 60 kg e tinha rodas com jantes especiais, com pneus 2,50 x 16.

Continue lendo...

2018/05/26

92 anos de Paulino da Silva Gonçalves - Garagem Aliança (Barcelos)


A cidade de Barcelos possui um dos mais conhecidos símbolos do património cultural português - o galo de Barcelos. A par do muito património histórico que podemos admirar nesta cidade minhota, é ainda possível contactar com um dos homens que está ligado à história das motorizadas e bicicletas portuguesas.

Falamos de Paulino da Silva Gonçalves, nascido em 1926 e que esta semana completou 92 anos de idade! É o senhor que aparece na primeira imagem deste artigo, na sua loja, situada na Rua Direita, em Barcelos.

Para além de expressarmos os nossos parabéns pela idade atingida, aproveitamos para aqui divulgar um pouco da história de Paulino da Silva Gonçalves, da Garagem Aliança e das marcas que comercializou.

Paulino da Silva Gonçalves é natural de Vila Nova de Famalicão, tendo ido trabalhar como empregado para a Garagem Aliança, em Barcelos. Após a morte do seu patrão, ficou com o negócio que já existia, onde o seu espírito empreendedor não demorou muito a evidenciar-se. E não se limitou à venda de veículos de duas rodas, tendo também vendido mobílias e flores naturais, usando para tal a sua residência.

E não se limitava a ficar na loja à espera que os clientes chegassem. Periodicamente realizava viagens pelo norte de Portugal (chegava até à zona de Matosinhos, passando por Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Esposende, Valença, Monção, Melgaço...), vendendo motorizadas a prestações a quem não as conseguia pagar a pronto.
Para estas vendas, as motorizadas eram transportadas em carrinhas. A frota da Garagem Aliança contou com uma carrinha Ford Transit, bem como com outras de marca Mercedes.

Comercializou montagens de vários fabricantes nacionais, entre eles a Confersil, a Diana / Fausto de Carvalho, a EFS, a Famel, a Fundador (desta marca fez poucas vendas), a Sangal (bicicletas) e da SIS Sachs. Comprando regularmente, por exemplo, lotes de 80 motorizadas Confersil, 30 motorizadas Famel e 30 motorizadas SIS Sachs, que depois vendia.
Comercializava ainda componentes de marcas nacionais, como pneus da CNP - Companhia Nacional de Pneus, que ia buscar ao Porto, ou aros para rodas de bicicleta, de marca Vilar, que comprava em São Mamede de Infesta.

Vendia as motorizadas como chegavam da fábrica muitas vezes sem qualquer tipo de personalização ou requisitos específicos. Por vezes ostentavam no depósito de combustível as suas marcas: Alifort ou a Apollo XI.
Com o fecho das fábricas de motorizadas nacionais, passou a trabalhar mais no mercado das bicicletas, especialmente com a marca Sirla. Também fez pequenas encomendas à Esmaltina.

Com o interesse que se registou nos últimos anos pelo restauro de motorizadas e bicicletas antigas, a Garagem Aliança aproveitou o saber acumulado durante décadas passando a fazer vários trabalhos por ano. Também tem muitas peças disponíveis para venda, como se pode ver pelas imagens que divulgamos.

Em tempos passados trabalharam na Garagem Aliança os funcionários Avelino da Silva Gonçalves; Manuel Henrique Sousa e Domingos António Figueiredo (localmente conhecido como "Maneta", por não ter um braço). Nos dias que correm encontramos João Faria a trabalhar na Garagem Aliança, situação que se regista há 9 anos, pois Paulino da Silva Gonçalves bem que merece descansar.

Terminamos dizendo que não se sabe qual a origem do nome Alifot, pois esta marca já existia quando Paulino da Silva Gonçalves entrou para este negócio.
Sendo uma casa que existe há mais de 60 anos, está virada para o futuro, pelo que podem encontrar a Garagem Aliança no Facebook - Clicar aqui!

Muito obrigado a Paulino da Silva Gonçalves e a João Faria pela forma como fomos recebidos e pelo tempo despendido para que pudéssemos ficar a conhecer melhor este capítulo da nossa história. Obrigado!

Continue lendo...

2018/05/25

Publicidade Mabor General - livro "O Exame do Condutor"


Um dos requisitos para se circular legalmente numa estrada, passa por ter de estudar um livro de código da estrada, ao qual se segue um exame de código.

Esta realidade já existe há várias décadas e é uma oportunidade para poder fazer alguns lucros, vendendo material que ajude a obter o sucesso no exame que permite tirar a carta de condução.

Américo Leal foi uma das pessoas que realizou um livro para este efeito. Intitulava-se "O Exame do Condutor de Auto-ligeiros e de Auto-pesados". Foi editado pela ASA, do Porto e nas imagens vemos uma exemplar da 2.ª edição.

Neste livro houve empresas que aproveitaram para publicitar os seus produtos.
Uma delas foi a Mabor General, apresentando diferentes pneus para automóveis e para camiões, com o mote "Os pneus que se recomendam pela qualidade e pelo preço são Mabor".

Outra empresa que fez publicidade no livro, foi a J.J. Gonçalves, Sucrs., que na época vendia automóveis Austin.
No livro está recheado de ilustrações e dos tradicionais sinais de trânsito, com a respectiva legenda.

Este livro está disponível para venda, para mais informações usar o contacto de e-mail existente na lateral direita do ecrã.

Continue lendo...

2018/05/24

IV Encontro de Motorizadas e Motos Antigas - Cabeço de Vide


Divulgamos o cartaz do IV Encontro de Motorizadas e Motos Antigas - Cabeço de Vide, que este ano se realiza no dia 9 de Junho de 2018.
A concentração começa pelas 9 horas, no Centro Cultural e Recreativo, seguindo-se o passeio pelo concelho de Fronteira.
Para mais informações, usar os contactos existentes no cartaz.

Continue lendo...

2018/05/23

Ciclomotor Vilar Alpino - XV Automobilia Ibérica da Moita / 2018


Na XV Automobilia Ibérica da Moita / 2018 esteve à venda este ciclomotor Vilar, com motor Alpino.

O passar dos anos estava bem presente nas camadas de tinta que lhe foram aplicadas sucessivamente, como se pode ver nas imagens que mostramos.

Mas por baixo das várias camadas de tinta, notava-se que tinha os elementos caracterizadores da Vilar, como seja o trevo no aperto do varão do guiador.

E na chapinha colocado no local onde se prendiam os guarda-lamas às hastes, que apertavam na zona do eixo das rodas.

Alguns dos componentes mais antigos já tinham sido substituídos, como acontecia com os pneus das rodas de medida 26.

E com os punhos no guiador, que sendo em borracha, acabaram por se estragar com o uso e com o tempo.

Este ciclomotor Vilar com motor Alpino tinha um descanso central, colocado por baixo da zona do motor.

O escape estava pintado de prateado, tendo uma forma fuso.

Continue lendo...

2018/05/22

Manual de Instruções motobomba Pachancho - Modelo Braga


Este manual de instruções de um motor Pachancho, modelo Braga, produzido pela Fábrica Nacional de Pistões "Pachancho" - António Peixoto, L.da, está na calha para ser colocado em formato digital.

Nele é referido que a Pachancho iniciou um plano em 1949 para o fabrico de motores para bicicletas e que este é um motor monocilíndrico de 5 C.V., a 4 tempos, para uso na agricultura.

É ainda referido que assim era possível conseguir em Portugal um motor ou grupo moto-bomba puramente nacional e de plena satisfação.

Neste manual com 32 páginas, são apresentados as várias partes do motor, bem como desenhos e esquemas que ajudam a perceber como funciona.

Não faltam os conselhos de funcionamento e de conservação, bem como uma listagem de causas do deficiente funcionamento do motor Pachancho.

É impresso a duas cores - preto e vermelho, tendo formato próximo do A6.
O miolo (interior) é feito de pequenos cadernos cozidos entre si, com recurso a linha.

Tem capa em cartolina, tendo sido impresso nas Oficinas Gráficas Augusto Costa & C.ª, L.da, no Largo do Barão, em Braga,

Quem pretendem adquirir uma versão digital do manual, pode contactar-nos através do endereço de e-mail que aparece na lateral direita do ecrã.

Continue lendo...