2018/12/31

RDV: Balanço do ano de 2018


Todos os anos gostamos de fazer uma publicação no último dia de Dezembro onde fazemos o ponto da situação do que foi o ano Rodas de Viriato.
Enchendo chouriços podemos dizer que completámos 12 anos de existência, com publicações diárias, primando sempre por apresentar material relevante, exclusivo e que acrescente algo ao que já se conhece. Pode parecer tarefa fácil – e é, mas por vezes as coisas complicam-se.
Começando pelo copo meio cheio, podemos dizer que este ano foi marcado por um aprofundar do interesse em determinadas áreas dos assuntos sobre quais versa o Rodas de Viriato – Os veículos fabricados em Portugal. Especialmente no que diz respeito à antiguidade das empresas (não imaginam o que é descobrir coisas do final do Século XIX), bem como dos produtos por elas fabricados (quando são coisas específicas ou pouco conhecidas, tanto melhor!). Não demorará muito a que isso aqui seja partilhado!
Em relação a manuais antigos e catálogos antigos foi um ano em cheio. A quantidade de ficheiros com digitalizações de qualidade já ultrapassa uma dezena, o que pode ajudar muito quem procura um artigo destes e não o encontra.
O copo quase que ficou cheio em termos de publicações (livros), pois foram vários os títulos que surgiram e que trataram diferentes tipos de veículos e marcas.
Olhando para o copo meio vazio, podemos dizer que a situação da utilização das imagens deste blogue, sem que sejam respeitadas as nossas (simples) condições, é a que mais momentos desagradáveis trouxe. Sim, especialmente nas redes sociais, bem como em sites e fóruns, pela Internet, há sempre que ache que pode usar uma foto do Rodas de Viriato, sem indicar a fonte e sem colocar o link para o local de onde a retirou. E muitas vezes para vender artigos. Para além de ser fraude ilustrar uma venda com uma imagem que não corresponde a verdade, quando nos dirigimos a quem faz isto, de forma educada e cordial, ainda somos tratados de forma incorrecta. E ainda estou para ver o dia em que alguém nos virá pedir contas de um negócio que correu mal, onde aparecia uma imagem que dizia “Rodas de Viriato", e onde não apareceu mais o dinheiro pago pelo artigo, nem o vendedor. Nos últimos tempos temos batalhado contra isto, chegando a situações que são ridículas, procurando dar nas vistas. Estranhamente não vemos ninguém querer sujar as mãos com o assunto. É mais fácil deixar andar a situação, do que fazer algo que pode significar perder algum “amigo virtual” / “amigo interesseiro”; perder algum negócio ou perder alguns membros do grupo / do fórum. Mas uma coisa é certa, não temos de condicionar a nossa vida, só porque alguém quis acabar com a festa.
A melhorar, temos de ultrapassar as dificuldades em obter fonte de financiamento para continuar a investir em material, folhetos, catálogos, manuais, deslocações, tempo, electricidade, equipamento  fotográfico/informático… É por isso que a nossa ilustração de hoje tem um pé a pisar uma pessoa que entretanto é forçada a deixar um mundo e a ir para outro. É uma alegoria ao que nos vai acontecendo. A pressão a que somos sujeitos ao nos esmagarem, só nos leva para um local melhor. A procura que se regista pelo material com preço “sem ouro”, o com o “melhor preço” que conseguirmos, os pedidos de ajuda ou de informações que recebemos encapotados com promessas de envio de material para publicar ou de compras por vir, tudo nos faz crescer nesta adolescência desconhecida (lembrem-se que temos 12 anos…).~

E se fosse para desistir, já o teríamos feito há muito tempo!

À laia de conclusão, terminamos 2018 assim:
- O número de seguidores do blogue é de 241 pessoas;
- O número de publicações total no blogue é de 4628 artigos;
- A página no Facebook tem 2335 "likes" e 2371 seguidores.
- Em termos de visitas, acabámos o ano com um total de 3 219 267 visualizações de páginas.

Bom 2019!

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário