2017/09/04

Triciclo antigo Tabor - 25.ª Automobilia de Aveiro / 2017


Apetecia-nos começar o texto sobre este triciclo antigo da Tabor com uma frase poética de Arquimedes "Dá-me um ponto de apoio, e moverei o mundo" adaptada à nossa realidade... Algo do tipo "Anunciem / publicitem no Rodas de Viriato e divulgaremos tudo sobre a vossa história", numa alusão à capacidade que temos em encontrar e divulgar o historial e património de empresas que ainda existem.

Empresas essas que por ironia do destino, não se lembraram ou não souberam salvaguardar o seu passado, de modo a garantir o seu futuro e que não bastando isso, não percebem que por menos euros do que um dos seus trabalhadores gasta por mês a beber cafés, podem ter presença e publicidade no melhor, mais antigo, mais completo, mais perfeito e mais rigoroso blogue sobre veículos feitos em Portugal - o Rodas de Viriato.

Mas isso não seria uma forma correcta de começar o texto de apresentação deste triciclo da Tabor... Afinal se fizemos diligências para ter publicidade da empresa neste blogue e não conseguimos, não temos de partilhar essa experiência com os nossos leitores. O caminho para ter sucesso não será este... Mas a verdade é que quando tentamos fazer as coisas de forma normal, formal, saudável e ponderada, somos tratados como se fossemos mais uns que querem algo em troca de nada.
Entretanto tudo se agrava quando a situação se repete com várias empresas, de diferentes áreas, que dizem não ter interesse em aqui anunciar os seus produtos e serviços, mas que depois nos pedem fotografias para construírem os seus sites ou para alimentarem páginas no Facebook, no Instagram ou no Pinterest (normalmente colocaria as hiperligações para os sítios de que falo, aumentando assim o número de visitantes dos sítios referidos, mas já me chega de trabalhar para os outros, por isso não o faço...).

Afinal em que é que ficamos?
O que fazemos não tem valor para ser pago, mas já serve se for grátis?
Se fazemos tanto com poucos recursos, não faremos ainda mais se os tivermos?
Para quem tiver dúvidas sobre a quantidade de informação sobre a Tabor que já divulgámos, aqui fica o link para a pesquisa de imagens no Google de modo a terem noção do que dizemos.

Entretanto a pedrinha no sapato fez com que o pensamento se turvasse e nada ficasse para dizer sobre o triciclo em concreto, mas pronto, ficou algo que muitos gostarão de ler.
Quem sabe se a próxima publicação sobre a Tabor é mais positiva.

Triciclo fotografado na 25.ª Automobilia de Aveiro / 2017.

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário