2017/09/12

Motorizada MVM GPR 50 - 25.ª Automobilia de Aveiro / 2017 (1/2)


Dizer que a indústria portuguesa de duas rodas com motor sucumbiu por falta de inovação e de produtos de qualidade, demonstra alguma falta de conhecimentos sobre o que foi produzido em Portugal.

Os fabricantes sabiam responder às exigência do mercado e à forma de pensar dos portugueses. Em relação a este último ponto, podemos dizer que nesta motorizada MVM GPR 50 um dos critérios que esteve presente na sua concepção foi o da utilização de determinados componentes, de determinadas marcas.

Tal como aconteceu na motorizada Fundador K600 / Fera, também nesta houve o cuidado de proporcionar um produto equiparável (à sua escala) com as motos do campeonato mundial de velocidade, mas com motor de 50 cc.

O resultado é esta motorizada de linhas desportivas e aerodinâmicas, onde as carenagens contribuem muito para este visual.

E quando  dizíamos que foram usadas determinadas peças, de determinada marca, falamos por exemplo do painel de instrumentos de marca CEV. Vejam como é detalhado e completo.

E tudo isto em finais dos anos 80, pois esta motorizada MVM GPR 50 é de 1989.

E para quem é menos atento, reparem no pormenor existente na roda traseira... Nos dois lados há um elemento protector que tem a mesma forma exterior, uniformizando o conjunto.

A peça que de um lado serve de guarda-corrente, tem formato semelhante à peça que do outro lado protege o travão de disco da roda traseira.

E sim, esta motorizada já tinha travões de disco em ambas as rodas... Mais uma vez se prova a teoria do "determinadas peças".

E para terminarmos, um pormenor onde se vê o farolim de marca CEV embutido na parte traseira da motorizada, entre o selim e a carenagem.

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário