2016/12/31

RDV: Balanço do ano de 2016


Quem gosta de música diz que o ano de 2016 foi um annus horribilis, devido à morte vários cantores famosos que influenciaram o mundo musical. Mas quem diz isto esquece-se de que tudo tem um tempo, que caminhamos todos para o mesmo e que aquilo que está a nossa volta não é eterno. Nem nós!
Pois no blogue Rodas de Viriato foi mais um ano desta caminhada que já tem mais de 10 anos, em que todos os dias publicamos e divulgamos informações que tornam a vida dos interessados neste temática mais fácil. Por esse motivo já faz parte da rotina do dia-a-dia pensar no RDV e naquilo que nele é publicado.
Concluímos o anos com 211 seguidores; o número de publicações total no blogue é de 3898 artigos fazendo com que o tempo e o dinheiro nele investido comecem a tomar proporções um pouco elevadas... Em termos de visitas, acabámos o ano com um total de 2 392 847 visualizações de páginas e continuamos a apoiar eventos e a ajudar na criação de cartazes para os mesmos.
Mas isto é só a faceta mais visível, não estamos a contar com os restauros e negócios que são feitos a partir do que é publicado no blogue e dos contactos que indicamos; do material produzido a partir do que divulgamos e dos plágios que fazem do nosso material para alimentar páginas no Facebook (e noutras plataformas na Internet), bem como dos anúncios que são colocados on-line com fotos retiradas deste blogue, sem que lucremos um cêntimo com isso.
É o custo de oferecermos o melhor que temos a quem o quiser ver e ler. Faz parte da nossa cultura portuguesa associar "oferta" a ideias como: sem valor... a não respeitar... sem qualidade.
Por isso vai sendo altura de dar um passo atrás e pensar em ter conteúdos que têm de ser pagos. É claro que o preço a pagar será o mais baixo do mercado e o que mais valias trás para quem os quiser! E deste modo podemos começar a tornar real o mito de possuirmos uma armazém gigante cheio com todos os veículos fabricados em Portugal e toda a informações com eles relacionada.

Falando do que está à nossa volta, e em termos de veículos antigos, este ano registámos algumas mudanças que dão que pensar ou, tão somente, mostram como as coisas mudam.
- Nos automóveis de fabrico nacional, registou-se uma ligeira subida nos preços pretendidos na venda de jipes Portaro (situação que não será alheia à comemoração que fizemos dos 40 anos da marca), por outro lado tivemos uma estagnação e podemos até dizer que uma descida no preço dos Sado 550.
- Nas motorizadas de fabrico nacional os modelos ditos desportivos continuam em alta e nos outros regista-se uma diminuição dos preços pretendidos, comprando-se hoje uma motorizada com documentos pelo preço pretendido há uns anos por uma sem documentos.
- Em termos de revistas dedicadas a veículos antigos notam-se alguns abusos em termos da qualidade do que é publicado (tocando no assunto referido umas linhas antes, como são revistas pagas, isso é sinal de que o que nelas é publicado é bom!). Se algumas enchem páginas e páginas com artigos que são submetidos por clubes e grupos de entusiastas (poupando deste modo o trabalho de criação de conteúdos), outras há que fazem um artigo sobre uma visita a uma feira, enchendo pelo menos uma dúzia de páginas com fotos e uma legenda opinativa sobre o preço pedido pelo material à venda. Registou-se ainda o fim de uma das revistas que se dedicava aos automóveis antigos, revista essa que pertencia a um grupo empresarial de grandes dimensões de amplitude internacional.

Mas o passado já lá vai e já temos uma perna no ar para avançar em direcção a 2017! Venha ele!

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário