2015/01/11

Autocarro Salvador Caetano B58 do Clube Viação Clássica


Os autocarros também se tornam veículos clássicos e também têm entusiastas e admiradores.
Como é compreensível, a questão do tamanho acaba por limitar a preservação destes veículos, sendo conservados ou restaurados pelas empresas de transporte de passageiros a que pertenceram.
No caso do autocarro Salvador Caetano B58 de 1977 que acompanha este texto, a história é um pouco diferente. Está a ser recuperado por um grupo de entusiastas que se juntaram num clube, o Clube Viação Clássica (ver Facebook e o site oficial).

Este autocarro foi adquirido pela "STCP em Fevereiro de 1977 como parte de um lote de 200 unidades, a maior encomenda feita de uma vez só para a STCP, sendo esta a segunda encomenda deste modelo. A primeira encomenda, com algumas diferenças estéticas face à segunda, totalizou 66 unidades e a terceira e última encomenda, em 1980, apenas 15.
Esta viatura, de número 640, foi carroçada pela Salvador Caetano e iniciou o serviço em Abril de 1977. Algumas das inovações que a série incorporava eram a preparação para o trabalho em modo de Agente Único, suspensão pneumática e o bloqueio da marcha caso a porta traseira se encontrasse aberta. Esta série efectuou serviço em toda a rede da STCP, tanto em linhas puramente urbanas como em linhas de periferia. O abate iniciou-se a partir de Dezembro de 1999 sendo os últimos abatidos em Fevereiro de 2002. O 640 em particular, foi abatido ao serviço em Setembro de 2000, tendo sido adquirido pela Junta de Freguesia de Vila Boa de Quires em 2002.

A escolha desta viatura dependeu de vários factores:
• Historicamente, a série a que pertence representa um marco importante na STCP, não só pelo número total de elementos como também pelos anos de serviço acumulados. Paralelamente, o Volvo B58 foi um modelo extremamente comum por todo o país, existindo com diversas carroçarias em várias empresas e realizando todo o tipo de serviços, desde curtas deslocações urbanas até longas viagens por todo o território nacional.
• O estado de conservação da viatura, nomeadamente da carroçaria. É uma viatura que se encontrava estacionada em local coberto e abrigado dos elementos o que contribuiu em grande parte para o bom estado exterior em que se encontra.
• O estado mecânico, pois foi intervencionado antes da venda à Junta e o número de quilómetros realizados posteriormente foi reduzido, pese embora o facto de se encontrar imobilizado há algum tempo."

O autocarro foi vendido pela Junta de Freguesia de Vila Boa de Quires ao Clube Viação Clássica que o pretende restaurar, com o objectivo de o colocar como quando entrou ao serviço na STCP. Sem esquecer a "disposição do interior (tipo de cadeiras utilizadas e organização das mesmas), pintura exterior e aplicação de bandeiras, tudo isto sem nunca descurar a componente mecânica uma vez que se pretende que a viatura tenha uma vida activa com deslocações regulares para usufruto dos sócios do CVC".

1 comentário

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

Sou mais favorável à montagem do motor na parte traseira em autocarros, mas também gosto dos chassis Volvo de motor central. Proporcionam uma superior estabilidade em percursos com topografia irregular.

Enviar um comentário