2017/04/27

Ciclomotor Milo com motor Alma - XIV Automobilia Ibérica Moita (2/2)


É com uma fotografia do pormenor do motor Alma, Lda., fabricado em Portugal, por volta de 1950, que abrimos esta 2.ª parte da apresentação do ciclomotor Milo com motor Alma, que esteve à venda na XIV Automobilia Ibérica da Moita.

Este ciclomotor Milo tinha uma versão de quadro em que a união do tubo superior não estava alinhada com a zona de ligação dos tubos que seguravam o eixo da roda traseira, permitindo deste modo ter o depósito de combustível numa posição mais baixa.

O combustível sai quase na vertical do depósito por um tubo que liga ao carburador, que está situado mesmo por baixo, entre o motor e a zona da roda traseira.

A saída de gases do motor é feita por uma curva do escape que passa pelo lado direito, tendo havido a preocupação de fazer esta peça com a mesma inclinação do tubo diagonal do quadro.

A roda da frente tem suspensão, sendo a travagem feita com travões de ferradura, cujos calços em borracha apertam a lateral da jante metálica da roda.

Na tampão do depósito de combustível não havia qualquer marca ou desenho, sendo uma peça de linhas simples, com pequenos arcos de circunferência na margem do metal, de forma a permitir algum atrito, sempre útil no momento de abrir o depósito para o atestar.

Na traseira tinha um suporte de mercadorias, mas nele não havia as malas laterais, como acontecia no ciclomotor Alma que esteve na apresentação do livro Motorizadas 50cc Portuguesas.

O selim era forrado a napa, tendo uma mola na parte de dentro que permitia o amortecimento de irregularidades existentes no piso do percurso percorrido.

E terminamos com um pormenor das ferraduras do travão da frente.
Quem tiver mais informações sobre esta marca, por favor deixe comentário.

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário