2010/06/25

Vídeo do Vinci GT na estrada


Ao ver este vídeo sobre o Vinci GT a circular nas ruas da Maia, do utilizador Jmfpm2 (do Youtube), tenho dificuldade em me centrar no que tem de bom e fico com vontade de o utilizar para dizer mal...
Começo por dizer que é um importante documento histórico, pois tem imagens de um momento que com facilidade poderia ficar esquecido para sempre... Mas, tal como no vídeo Estoril 80 cc, esteve lá alguém que registou o momento, que teve o trabalho de se informar sobre o assunto em questão e que depois o divulgou - tudo como manda a lei!

Quando digo que me apetece usar este vídeo para dizer mal, é devido às polémicas que são expostas no mesmo... O eterno problema de ser ou não o "1.º automóvel português" ou de ser ou não "100% português"...
Sei que neste blogue esta situação também ocorre pontualmente, mas não como vemos em muitos sítios, em que a situação e levada a extremos.
Nesses casos fica-se a pensar que, por um lado, quem profere tais palavras é perito no assunto (devendo a realidade deverá ficar cristalizada para sempre assim) e, por outro lado, fica-se a pensar que essas pessoas devem ter uma vida muito triste, pois as tais questões de "primeiridade" ou "purinidade" mostram a sua maneira de ser e de pensar, pelo que poderemos aferir que:
- Nunca comem comida que sobrou de uma refeição anterior (não seria a primeira vez que a estavam a comer...);
- Não se relacionam com pessoas que não chegaram até si em estado de virgindade (não se tem relações com alguém que já o fez com outras pessoas...);
- Devem ter uma vida muito hermética, pois não compram produtos dos quais não conheçam a origem... Será que cada vez que querem um móvel vão para um pinhal (de preferência para o de Leiria...) com um calhau na mão (como e óbvio não vão usar uma serra que foi feita na China!) para cortarem um pinheiro do qual irão tentar tirar algumas tábuas para fazerem uma mesa ou uma cadeira? Até os de Paços de Ferreira podem ter sido feitos com máquinas construídas no estrangeiro!...
Torna-se num tipo de discurso castrador e que impede que se atinja o que é defendido.

E para aqueles que dizem que o Alba é que tem o motor 100% português, pergunto: O alumínio usado no mesmo, veio de alguma mina portuguesa?

2 Comentários

Rúben Teixeira disse...

Olá.

Sendo de Leça do Balio, próximo do CEIIA e tendo privado com os intervenientes no processo de fabrico deste carro (os videos postas neste mesmo blog assim o comprovam), tive o privilégio de ficar a conhecer bem este carro.

Eu sou um ferveroso opositor do "Bota-Abaixo" deste que afecta este Pais, e embora aplauda a iniciativa, tenho de admitir que, tendo em conta as imensas capacidades tecnológicas do CEIIA, este carro é uma desilusão. Não passa de um Corvette C6 com novos painéis. E sabendo que o Corvette não é um monocoque como os carros do dia-a-dia, e que os seus páineis são fácilmente substituidos, o acto de dar uma nova carroçaria a este carro não se mostra como nada de especial.

E, excluindo o fanatismo citado pelo autor deste artigo, no mundo automóvel o facto de ser "100% Português" têm algum peso, e este carro infelizmente não o é.

Rúben Teixeira disse...

PS: Desculpem os erros ortográficos do meu comentário anterior, o teclado não está a colaborar... :D

Enviar um comentário