2018/06/24

Reportagem da 26.ª Automobilia de Aveiro / 2018 (1/2)


No mês passado decorreu a 26.ª Automobilia de Aveiro / 2018 e tal como aconteceu em edições anteriores, aqui estamos a apresentar a reportagem do que vimos e sentimos.

Por uma questão de organização, o texto que acompanha este grupo de fotografias aborda a 26.ª Automobilia de Aveiro / 2018 de modo mais abrangente, seguindo-se uma segunda parte focada nos veículos de fabrico português.

Depois da reportagem geral sobre o evento, seguem-se as tradicionais publicações que apresentam de forma individual alguns dos melhores exemplares de fabrico nacional que estiveram em exposição.

As expectativas eram altas, pois na Automobilia de Aveiro há o cuidado de desenvolver exposições e actividades em paralelo com a feira de venda de peças, de veículos e de artigos com eles relacionados.

Para além do que referimos, há sempre uma grande heterogeneidade de marcas, de tamanhos e de tipos de veículos, bem como de valores pelo qual são vendidos. Tudo motivos que justificam uma visita.

Mas falando um pouco das imagens que divulgamos, na anterior podemos ver uma série de pneus novos para automóveis antigos, onde se destacam 4 pneus Camac 145R10, que estavam à venda no espaço de uma empresa especializada neste tipo de artigo.

Na exposição "Camiões reboque, o socorro mecânico" foi possível ver vários exemplares de diferentes marcas, conservados e mantidos por diferentes entidades, alguns dos quais com muitas décadas de idade. Tivemos o privilégio de ver funcionar o Fargo de 1947, com cabine dupla, que no passado pertenceu à empresa Indústrias do Fundão, L.da.

Na exposição "Família automóvel Renault", que estava patente ao longo de um lado exterior de um dos pavilhões da Automobilia de Aveiro, viam-se tanto versões concebidas a pensar no dia-a-dia, como versões desportivas, daquelas que fizeram sonhar muitas pessoas.

Na exposição "Motos antigas de fabrico artesanal, obras primas com muita mestria" destacavam-se motos (uma delas com side-car) com componentes e partes em madeira. Nos dias que correm podem ser uma mais valia, pois a personalização e a preocupação com a conservação da natureza, são dois dos factores tidos em conta por muitos consumidores.

As "Bicicletas antigas, sempre elegantes" (ver imagem mais para cima) não foram esquecidas e nela foi possível ver bicicletas antigas de construção estrangeira, onde os pormenores de fabrico faziam a diferença, como era norma na época.

Outra exposição que merecia visita era a dos "Veículos militares portugueses", da qual divulgaremos imagens e informações no próximo artigo sobre a 26.ª Automobilia de Aveiro / 2018.
Os artigos de colecção continuam a aparecer. Na imagem anterior podemos ver uma lata antiga da Sonap, como a que já aqui divulgámos.

No que respeita aos veículos à venda, já dissemos que havia de tudo um pouco. Na imagem anterior podemos ver várias bicicletas, quase todas para um público juvenil, bem como vários triciclos antigos e carrinhos ou quadriciclos antigos a pedais.

Pudemos ainda ver autocolantes da Sericértima / New Sticker à venda, como se vê na imagem. Muitos dos que vão a Aveiro, procuram material para restauros, e os autocolantes para motorizadas por norma estão sempre na lista "A comprar" (quem não vai à automobilia, pode encomendá-los directamente no site da Sericértima e recebê-los depois em casa).

A empresa Ferrugens & Companhia também esteve no evento, com um espaço próprio, onde era possível ver a ampla gama de produtos para tratamento de metais ferrosos e para cuidado / detalhe automóvel que comercializam. Tinham algumas peças tratadas com os produtos que vendem, onde era possível ver ao vivo os resultados obtidos.

As motorizadas continuam a representar uma parte significativa do espaço ocupado, havendo de tudo, para todos e para as mais variadas bolsas. As motorizadas nacionais estavam representadas com alguns exemplares emblemáticos, que no futuro mostraremos.

As peças para motorizadas são outra parte muito importante do comercio realizado na Automobilia de Aveiro, e este ano não foi diferente, com muitos entusiastas em busca da peça em falta. Haja paciência para as procurar, e alguns euros na carteira, que tudo aparece.

No espaço exterior era possível ver alguns automóveis para venda, bem com motos e motorizadas antigas.
Houve ainda espaço para uma exposição de autocarros antigos, realizando-se uma carreia até ao centro da cidade de Aveiro, feita num desses autocarros, permitindo viver ou reviver a sensação de usar um transporte público de outro tempo. Um dos vendedores referiu-nos que esta iniciativa deveria ter servido de chamariz para que mais pessoas visitassem a Automobilia de Aveiro (apostando de forma clara no sentido Aveiro » Parque de Exposições de Aveiro). Aspecto que certamente será tido em consideração no futuro.

Terminamos com a falsa questão do preço das entradas para ingressar na Automobilia de Aveiro. Somos suspeitos para falar do assunto, pois temos de agradecer as facilidades concedidas pelo C.A.A.A. / Miguel Serrano, para entrar no recinto. Mas passamos a explicar... Nas chamadas redes sociais e também junto das bilheteiras, foi possível ler/ouvir a reclamação de algumas pessoas, queixando-se do preço dos bilhetes. Pelo exposto, e pela actividade desenvolvida pelo Clube Aveirense de Automóveis Antigos, podemos dizer que o preço não está alto, mas sim baixo. Sabemos que muitos entusiastas estão habituados a ter material de qualidade grátis (o Rodas de Viriato é disso um bom exemplo!) o que não quer dizer que a entrada num evento desta categoria tenha de ser grátis. É claro que a organização pode pensar, e com mais facilidade aceitará sugestões, ideias e opiniões construtivas / fundamentadas; que proponham soluções que vão nesse sentido. Mas arriscamos a dizer que, mais do que alterar o preço das entradas, será necessário alterar a mentalidade dos que lá gostariam de ir de forma grátis... Provavelmente serão daqueles que se ouvem em passeios e em encontros dizer que gastaram "x" centenas de euros em cromados; "y" centenas de euros em pintura e "w" centenas de euros em peças, sem que ninguém lhes pergunte nada... Isto enquanto não hesitam em gastar 7 euros (o valor da entrada na Automobilia) em cerveja, que passado uma hora está a ser despejada num urinol...
Entretanto já estamos a riscar os dias que faltam para a 27.ª Automobilia de Aveiro / 2019!

1 comentário

Oceano Pacífico disse...

Bonito...!!! Gostei de ver...!!!

Enviar um comentário